sábado, 3 de maio de 2014

"RETRATO HEROICO": CENTENÁRIO DA REVOLTA DA CHIBATA (Histórico de Arte da Mario)



CENTO E UM ANOS DA REVOLTA DA CHIBATA: 1910-2011



Em 2010, realizei com meus alunos do Fundamental II, da E.M. Mario Piragibe (6ªCRE/SME-RJ) - como já mencionei em outra postagem na ocasião (22/11/2011) - Cem
Anos da Revolta da Chibata - um trabalho de artes visuais em homenagem aos Cem anos da Revolta dos Marinheiros por melhores condições de trabalho, de alimentação e pelo fim dos castigos físicos (chibatadas), aplicados pela Marinha da época (1910). Em 2008, já havia realizado um outro trabalho  sobre o tema na escola (ver: http://artemariopiragibe.blogspot.com.br/2010/05/joao-candido-e-revolta-da-chibata.html).

Conhecida como a "Revolta da Chibata", este acontecimento, que marcou a História do Brasil e da cidade do Rio de Janeiro, teve como líder o marinheiro João Cândido, que a partir de então recebeu popularmente a alcunha de "Almirante Negro".

O trabalho com os alunos resultou em dois vídeos, uma versão sem "efeitos" e outra com interferências tanto nos desenhos (retrato de João Cândido) como nos retratos dos alunos - pelo programa Windows Movie Maker, utilizando-se do recurso: "Limite".

Só em novembro deste ano, 2011, é que tivemos a oportunidade de expor para a comunidade escolar a proposta, graças a participação da escola na Semana da Consciência Negra. Montamos dois murais com algumas das imagens e, numa sala , preparada pelos alunos do Projeto Guardiões da Escola, exibimos (em sessão contínua) as duas versões do vídeo.



VÍDEO REALIZADO EM 2010 E EXIBIDO EM 2011

RETRATO HEROICO: HOMENAGEM AOS CEM ANOS
DA REVOLTA DA CHIBATA (1910-2010)

Herói para alguns, um "anti-herói" para outros...
a História não podia ficar indiferente a este notável homem:
João Cândido Felisberto!
Assistam ao vídeo!




SEMANA DA CONSCIÊNCIA NEGRA (nov./2011)

MOSTRA FEIRA INTEGRADA




Os monitores da exibição na Feira Integrada: alunos do Projeto Guardiões da Escola



A EXIBIÇÃO EM SESSÃO CONTÍNUA DO VÍDEO


Sessão contínua dos vídeos produzidos pelos alunos



Murais com os trabalhos



A PROPOSTA DE ARTE 2ºsem./2010: "RETRATO HEROICO":
HOMENAGEM AOS CEM ANOS DA REVOLTA DA CHIBATA: 1910-2010

Sem perder o foco de minha disciplina, que é as Artes Visuais/Artes Plásticas, trabalhamos este tema multidisciplinar, em que precisamos tomar conhecimento não apenas dos elementos básicos da linguagem visual (cor, forma, composição, espaço etc.; gêneros de pintura: retrato etc.), mas também nos adentrarmos em temas que dizem respeito a outras áreas do conhecimento: no caso, a História do Brasil.
Este ano, 2011, na linguagem das Artes Visuais, dei relevo às artes urbanas e ambientais. De início, pensei em trabalhar o "lambe-lambe", que é uma arte de rua com a técnica de colar cartazes nas paredes. Os alunos pesquisaram sobre várias modalidades de arte urbana e assistimos a vários vídeos interessantes sobre lambe-lambe, stickers, estencil etc.).
De acordo com a proposta do Conexão das Artes SME-RJ, fiz o workshop para professores da rede com o artista Antônio Bokel, sobre intervenção urbana, em que finalizamos com uma intervenção lambe-lambe numa parede em frente ao Calouste Kulbenkian (local onde aconteceu o curso). Eu conversei com meus alunos como havia sido esta experiência no workshop do Bokel. Eu pretendia que meus alunos não ficassem só na teoria ou só na visualidade "distante" dos vídeos, eu queria propor a eles uma intervenção com esta técnica.
Porém, por "questões técnicas", digamos assim, a proposta precisou ser adiada. A proposta era intervir num muro interno da escola com reproduções (fotocopiadas) do retrato de João Cândido, onde os alunos criariam outras interferências a partir da montagem. Com as cópias em mãos, mas (ainda) sem o restante do material, lancei a proposta deles intervirem (individualmente), com o material que eles tivessem em mãos (canetinhas, lápis de cor, tinta guache, giz de cera...), na imagem fotocopiada (na proposta anterior, seria uma interferência coletiva direta nas imagens fixadas no muro pela técnica do lambe-lambe).
A ideia de trabalharmos o gênero artístico retrato é que alunos de algumas de minhas turmas tiveram a oportunidade de visitar a exposição "Zerois: Ziraldo na tela grande" e "Anita Malfatti: 120 anos" no CCBB-RJ. Eu pretendia tê-los levado também para verem a exposição "Parede" no CCJF (mas não conseguimos o transporte). De posse do o material do setor educativo, eu repassei o conteúdo das exposições para os alunos/turmas que não puderam ir (disponibilizaram só dois ônibus e eram seis turmas de uma média de 40 alunos por turma). O rico material do setor educativo do CCBB sobre a exposição de Anita enfocava o "retrato". A exposição de Ziraldo mostrava os heróis das HQs e desenhos animados em situações cotidianas (num asilo de idosos, assistindo TV, num encontro amoroso etc.). Eram, em sua maior parte, "apropriações" de obras artísticas/históricas.
Levei para minhas turmas a questão: "que relação podemos ver entre os retratos da exposição de Malfatti e os heróis da exposição de Ziraldo com o retrato de João Cândido, líder da Revolta da Chibata (no qual vocês agora estão criando interferências artísticas)"? Não foi difícil a correlação: tal como Anita Malfatti, os alunos puderam (re)criar retratos de um herói de nossa história brasileira e carioca, um herói de carne e osso, que viveu situações cotidianas, tal como os super-heróis das grandes telas de Ziraldo (uma das revindicações da "Revolta" era bem "cotidiana", reivindicava-se melhores condições de trabalho e de alimentação, além, claro, do fim dos castigos físicos, pela qual a revolta dos marinheiros de 1910 ficou conhecida como a Revolta da Chibata).
Escolhemos apresentar os trabalhos através da linguagem do vídeo e do retrato fotográfico. A interferência no retrato fotocopiado de João Cândido foi trabalho de sala de aula para todos os alunos de minhas turmas (mas só escolhemos alguns para escanear - havia quase 300 trabalhos!); já a fotografia (o retrato dos alunos da escola) foi opcional, participava quem quisesse, inclusive alunos de uma das turmas em que eu não lecionava na época quiseram ser fotografados (vários alunos desta turma, 1604, antiga 5ª série, participaram este ano, 2011, voluntariamente em algumas de minhas propostas nas aulas de Artes, como, p.ex., "Os Guardiões da Escola Mario Piragibe: ativismo pela preservação do meio ambiente escolar").
Os alunos assistiram a vários vídeos sobre o episódio histórico da Revolta da Chibata, tanto voluntariamente, através de pesquisas individuais no Youtube, como obrigatoriamente, durante as aulas (para isso, contei com a estimável colaboração dos colegas professores de História: Talita Oliveira e Rafael Rossi). Os alunos fizeram ainda pesquisas (na Internet, na Sala de Leitura da escola etc.).
Montamos o vídeo com a música de João Bosco e Aldir Blanc, O Mestre Sala dos Mares (em que os alunos - em sala de aula, a partir de um vídeo que uma aluna conseguiu no YouTube -, confrontaram as duas versões da letra: a atual e a proibida pela censura militar da época), e finalizamos com os dizeres da placa comemorativa que acompanha o monumento do Marinheiro João Cândido na Praça XV, Rio de janeiro, inaugurada em 2008 (quando de sua anistia): agora, há bem mais do que somente "as pedras pisadas do cais"!

INTERFERÊNCIAS NO RETRATO DE JOÃO CÂNDIDO: MANIPULAÇÃO DA IMAGEM FOTOCOPIADA ATRAVÉS DE RECURSOS DISPONÍVEIS NUMA SALA DE AULA REGULAR (lápis de cor, canetinha hidrocor, giz de cera, tinta guache)







VISITA DOS ALUNOS À EXPOSIÇÃO ZERÓIS: ZIRALDO NA TELA GRANDE (CCBB/RJ)








VISITA DOS ALUNOS À EXPOSIÇÃO ANITA MALFATTI (CCBB/RJ)




Profa. Talita, de História, e nossos alunos, no CCBB-RJ


VÍDEOS ASSISTIDOS EM AULA

Diversos curtas do Youtube sobre o tema (1) e ainda outros, como, por exemplo, "Memórias da Chibata", ficção, de Marcos Marins, e "João Cândido e a Revolta da Chibata", documentário, de Produção da Turma Balacobaco (2004) da Escola de Audiovisual Nós do Cinema.







NOTA:
(1) Ver ainda os outros posts de nosso trabalho neste tema:



sexta-feira, 19 de abril de 2013

Relatório: Oficina Itinerante de Animação Experimental do Núcleo de Arte Grande Otelo 6ªCRE

(acima, alguns exercícios de animação)

Na postagem anterior (clique aqui ou aqui), publiquei sobre nosso primeiro dia da Oficina Itinerante de Animação Experimental do Centro de Pesquisa e Formação em Arte - Núcleo de Arte Grande Otelo 6ªCRE, que aconteceu durante o mês de março de 2013, na E.M. Mario Piragibe.

Agora, os registros fotográficos das demais aulas do curso e, ainda, a primeira edição do vídeo com os exercícios de animação realizados pelos aluno (acima). 

Aproveito também a ocasião desta postagem para publicar o relatório da oficina.

RELATÓRIO
Alunos, na 3ª semana, animando o título para o vídeo dos exercícios de animação

A oficina itinerante de Animação Experimental do Núcleo de Arte Grande Otelo 6ªCRE-RJ, na E.M. Mario Piragibe, foi realizada durante o mês de março de 2013, com a participação voluntária de alunos do fundamental I e fundamental II, no contraturno de suas aulas regulares.

O objetivo foi introduzir os alunos na linguagem da animação. Apresentar, conhecer e experimentar algumas técnicas elementares (e "artesanais") de animação, dentro da estética poética "trash", que possibilita maior liberdade de criação (já que leva em conta o improviso e as escolhas aleatórias e inusitadas) e uma preocupação menor quanto a escassez de recursos e/ou de tempo - e assim compreender a lógica e a mágica da arte do cinema de animação.

Experimentamos, em especial, algumas técnicas: pré-cinema, como o "folioscópio", e, do cinema de animação, a técnica "stop-motion", captura fotográfica quadro a quadro para dar a ilusão de movimento (p.ex., desenhando na lousa, com objetos e bonecos, com recortes de papel e outros materiais etc.) e a técnica "pixilation", que não deixa de ser um stop-motion, com a diferença que em vez de objetos inanimados, é o corpo humano que é usado. Qual a diferença então? Não seria mais fácil filmar (live-action)? A diferença é que com a técnica de animação pode-se obter efeitos que com a mera filmagem não se obteria! Por exemplo: uma pessoa sair de dentro de um pequeno chapéu, voar, aparecer e sumir, atravessar paredes ou "passear" nos "puffs" da sala de leitura, como se fosse num trenzinho!

Além das experimentações práticas, para que os alunos compreendessem o que é uma animação, foram apresentados vídeos de animação, em especial os realizados por alunos em anos anteriores. Os alunos assistiram ainda ao vídeo "Animando", de Marcos Magalhães, um dos fundadores do Anima Mundi. Neste vídeo, o autor apresenta de modo muito atraente e bastante claro as técnicas elementares e "artesanais" de animação.

Avaliação. Para fazer animação são necessárias disciplina, concentração, persistência, uso da criatividade e espírito de colaboração (já que a animação tem várias etapas e delas dependem diversos "técnicos"). Eu valorizei, na avaliação geral do trabalho, a capacidade que os alunos demonstraram na compreensão da mágica da animação: como dar movimento a objetos inanimados, como criar efeitos ópticos ("efeitos especiais") simples; a capacidade de colaboração e de autonomia; a capacidade poética de trabalhar com o improviso, criando e recriando realidades...

Alunos, na 3ª semana, assistindo ao vídeo "Animando", de Marcos Magalhães

RELATÓRIO SEMANAL

Primeira semana,

Dia 07 - manhã: conversei com a direção e coordenação da E.M. Mario Piragibe e visitei as turmas da manhã para divulgar as oficinas do Núcleo de Arte Grande Otelo, falar sobre o endereço da nova sede e convidar alunos para a oficina itinerante, que começaria naquele mesmo dia, no horário da tarde. Fiz as inscrições, distribui as permissões para os pais assinarem o retorno dos alunos no contra-turno. Fixei cartazes sobre as oficinas do Núcleo de Arte Grande Otelo nas paredes da escola.

Dia 07 - tarde: primeiro dia da oficina. Conversamos sobre o significado da palavra "animação"; mostrei aos alunos como é possível o "truque" da animação, fazendo uma tesoura "andar" sobre a mesa pela técnica stop-motion; assistimos a vídeos feitos por alunos em anos anteriores; conhecemos o que é um "flip-book" (levei alguns para eles manusearem); e experimentamos criar "folioscópios" (que é a técnica dos "flip-books" - só que, no caso, realizamos folioscópios com apenas duas folhas); quando a aula terminou, alguns alunos ainda ficaram para experimentar um breve stop-motion com os puffs da sala de leitura (atividade do próximo encontro para o grupo).

Alunos, na 3ª semana, preparando a câmera para as capturas fotográficas


Segunda semana,

Dia 13 - tarde: Iniciamos a aula conversando sobre o que é "stop-motion" e sobre qual as diferenças e similaridades com a técnica conhecida como "pixilation"; depois, experimentamos (na prática), com o auxílio de uma câmera digital e um tripé, alguns exercícios de animação: "cubos andantes" ou "puffs andantes": com alunos que andam num trenzinho feito com os puffs da sala de leitura, com alunos que aparecem e desaparecem sobre os puffs, ou simplesmente os próprios puffs que se movimentavam "sozinhos"! Os alunos se revezavam para ficar com as câmeras para registros do "making-off" e para as capturas das imagens para os exercícios de animação. Os alunos se dividiram em dois grupos para pensarem suas propostas de exercícios - com os puffs e com bonecos.

Dia 14 - tarde: Iniciamos a aula fazendo uma breve retrospectiva do que já havíamos aprendido sobre stop-motion; depois, um dos grupos continuou o trabalho com os puffs e o outro realizou uma animação com bonecos (eu levei uma bolsa com diversos bonecos e, na aula anterior, o grupo selecionou os bonecos-bichos e criaram o argumento do vídeo; na presente aula, fizeram o cenário - recortes de emborrachado, folhas naturais do quintal da escola, flores artificiais que enfeitavam a sala de leitura - e buscaram outros elementos para a cena - como as bolinhas de papéis para a "poluição" e o estojo de uma das alunas, por ter o formato do bicho sapo); como nas outras aulas, alguns animaram a cena e outros se revezaram na câmera. Assim, concluímos dois de nossos exercícios de animação: o "Animando Puffs" e "A Floresta não Gosta de Sujeira"! Os grupos não eram "fechados", os alunos de um podiam participar (e muitos participaram) do trabalho do outro grupo.

Alunos, na 4ª semana, analisando os exercícios de animação para posterior edição, o aluno Luiz registrando o making-off

Terceira semana,

Dia 20, tarde: Começamos assistindo ao vídeo de Marcos Magalhães, "Animando", e conversamos sobre algumas das técnicas ali apresentadas. Inclusive, comparamos com o que já havíamos realizado. Os alunos se dividiram em grupos e funções. Experimentamos um stop-motion com recortes em material emborrachado (o título "Animações 2013" - que teve duas versões); experimentamos, ainda, em stop-motion, desenhos na lousa; tudo muito simples, pois nosso tempo era curto e o objetivo principal era o do experimento da mágica da animação.

Dia 21, tarde: Reunião extraordinária no Núcleo de Arte Grande Otelo para os professores discutirem sobre a organização e logística do "Desfile Os Deuses do Olimpo Visitam o Rio de Janeiro". Não tivemos a oficina neste dia. Não tivemos a oficina neste dia.

O aluno Jonathan, na 2ª semana, passando as fotos da oficina do dia no computador

Quarta semana

Dia 27, tarde: Como não foi possível realizar a edição dos vídeos na escola, levei o material para casa e eu mesma editei no meu computador, com um programa elementar de edição (Windows Movie Maker). E, no dia 27, nosso encontro de término desta oficina, levei as edições dos diversos exercícios realizados durante o mês de março, para que os alunos pudessem analisar e então sugerir as reedições. Análises feitas e registradas, levei o material para edição final, com alguns dos exercícios selecionados. Não pudemos aproveitar todos os exercícios, pois alguns não funcionaram bem visualmente depois de editados na sequência de uma animação.

Alunos, na 4ª semana, analisando os exercícios de animação para posterior edição

(cont. Dia 27): Para finalizar, ainda experimentamos mais um stop-motion com pequenos objetos.  Esse foi um dos exercícios que não funcionou muito bem depois de editado (a proposta era criar letras com pequenos quadradinhos de acrílico; o brilho dos objetos e o espaço que tínhamos para a captura das imagens não ajudou a cena visualmente). Antes de nos despedirmos, conversei com os alunos sobre as outras oficinas na sede do Núcleo de Arte Grande Otelo que iriam se iniciar em abril; distribui os folders e os convidei para participarem e divulgarem para seus outros colegas, amigos, vizinhos inscritos nas escolas da rede pública municipal do Rio. No finzinho da aula, confraternizamos com bolo e ovos de chocolate (já que estávamos na semana da Páscoa)!

Dia 28: Ponto facultativo (5ªfeira Santa).

Alunos, na 2ªsemana, num dos exercícios (eles decidiram se pintar e embora isso não tenha feito muita diferença na edição final da breve animação, foi algo bastante divertido para eles)

Agradecimentos à direção da E.M. Mario Piragibe/6ªCRE, profª Denise e profª Sandra, à coordenação, profª Elaine, Sala de Leitura, profª Letícia, ao apoio da secretaria, Rosângela e Marcos; e, claro, aos alunos, que aceitaram o convite e mergulharam nesta animada aventura! 

Professora Imaculada Conceição Manhães Marins

MAIS REGISTROS FOTOGRÁFICOS DA OFICINA
Cena de um exercício de animação na técnica pixilation/stop-motion, 2ª semana

Cena de um exercício de animação na técnica pixilation/stop-motion, 2ª semana

Cena de um exercício de animação na técnica pixilation/stop-motion, 2ª semana

Maquiagem, 2ªsemana

Maquiagem, 2ª semana

Maquiagem, 2ª semana

A aluna Fernanda mostrando sua maquiagem, oficina da 2ª semana

Experimento com os puffs da sala de leitura, 1ª e 2ª semanas

Experimento com os puffs da sala de leitura, 1ª e 2ª semanas

Experimento com os puffs da sala de leitura, 1ª e 2ª semanas (a aluna Thainá na câmera)


Experimento com os puffs da sala de leitura, 1ª e 2ª semanas (o aluno Christian preparando o tripé)

Intervalo para pose, foto da 2ª semana

Intervalo para pose, foto da 2ªsemana

Segunda semana, no primeiro plano, grupo que pensou a história com os bonecos-bichos (selecionando o material) e, ao fundo, o stop-motion com puffs! Os grupos não eram "fechados", os alunos de um podiam participar do trabalho do outro grupo


Aluno animando os bonecos, 2ª semana. Cenário criado pelos alunos, recortes de emborrachado, folhas naturais do quintal da escola, o sapinho é o estojo de uma das alunas, as flores artificiais são da sala de leitura...

O aluno Érick capturando as imagens do stop-motion com bonecos, 2ªsemana

"A Floresta não Gosta de Sujeira", cena do stop-motion com bonecos, 2ª semana

Alunos pensando a história com bonecos e selecionando os personagens, 2ª semana

A professora ajustando a câmera, foto da 2ª semana

Intervalo para pose, foto da 2ªsemana

O aluno Jonathan registrando o making-off na oficina da 2ªsemana

Oficina da 3ª semana, Melissa e Mikaelle registrando o making-off

Oficina da 3ª semana, pausa para uma pose

Oficina da 3ª semana

Cena do título "Animação 2013", que ganhou duas versões em stop-motion com recorte, 3ª semana


Oficina da 3ª semana, alunos escolhendo o material para a animação do "título"

A mesa improvisada, na 3ª semana, para animação do "título"

Pausa para uma pose, professora com as alunas Melissa (câmera), Mikaelle, desenhando na lousa, e Julia Ribeiro, assistente de animação, na 3ª semana

Aluna Melissa capturando os fotogramas para a animação

A aluna Mikaelle desenhando na lousa, 3ªsemana


Alunas aguardando a vez para desenhar na lousa

O aluno Luiz registrando o making-off, 4ª semana

Pausa para pose, 4ª semana

As alunas Fernanda e Juliana, na oficina da 4ª semana

Confraternização, 4ª semana

Os alunos Melissa e Èrick preparando a máquina para o stop-motion, 4ª semana

Stop-motion com quadradinhos de acrílico, 4ª semana

Os alunos Jonathan, Erick e Luiz analisando os exercícios de animação realizados, 4ª semana


NOTA:

Imaculada Conceição Manhães Marins